segunda-feira, 2 de setembro de 2013

"Eu tenho o direito de ser feliz..."




"Eu tenho o direito de ser feliz". Essa é uma frase muito comum hoje em dia. "Faça o que for necessário para ser feliz"... essa é outra. Será que estamos aqui para perseguir a felicidade a qualquer custo? Jesus nos avisou que viveríamos momentos de tristeza, como uma parturiente que dá a luz. O mundo ao nosso redor parece viver em constante felicidade, afinal, eles "curtem a vida". E o que é curtir a vida? Eles não entendem a lógica pela qual vive o cristão. "Quem ama a sua vida perde-la-á, e quem, neste mundo, aborrece a sua vida, guarda-la-á para a vida eterna." (Jo 12.25). A lógica aqui é outra. E nunca entenderão... Só é possível entender a lógica desse sistema quando vc está dentro dele. Jesus disse que se manifestaria àqueles que o amassem, e quem o ama é quem guarda seus mandamentos (Jo 14.21). A vida cristã é "pela fé", do começo ao fim. E é no fim da vida que nossa tristeza se converterá em alegria (Jo 16.20). E essa alegria ninguém nos tirará...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Une analyse du roman “Le dernier jour d’un condamné » de Victor Hugo

Le roman de Victor Hugo, Le dernier jour d’un condamné, a été publié en 1829, de façon anonyme. Le livre est un compte d’un prisonnie...